quinta-feira, 7 de junho de 2018

Solução de ESG para Petrobras

Autor: Hsia Hua Sheng* (Professor de Finanças Aplicadas da FGV-EAESP)


Data 04/Junho/2018



Indefinições sobre a política de preço de combustível da Petrobras incomoda muito o mercado financeiro. Sem essa política, não dá para calcular o valor da empresa da Petrobras!!!!


A política de reajuste diário conforme o preço de mercado internacional que ajudou salvar finanças da Petrobras e melhorou eficiência operacional da empresa nos últimos anos não conseguiu convencer a sociedade brasileira que esse é o melhor o modelo.


A política de subsídio adotada por outros governos anteriores também não traz boas memórias, pois criou problemas fiscais para o próprio governo ou prejuízo para Petrobras. Agora, o mercado fala de uma nova política que utiliza um imposto flexível para estabilizar o preço de combustível. Esse imposto seria maior quando o preço internacional for mais baixo, e o governo guardaria essa “gordura” para reduzir esse imposto quando preço internacional for mais alto.


Mas, por que mais interferência do governo? Ou converter um imposto em flexível? Será que a própria Petrobras não poderia encontrar uma solução de mercado que atende investidor e sociedade brasileira? A resposta é sim: aplicar o conceito de ESG (Environment, Social & Governance) na gestão da Petrobras.





Fazer uma gestão orientada para ambiental, social e governanças (ESG) abriria o canal com o mercado. A literatura financeira de valuation tem demonstrado que a prática de ESG agrega valor às empresas no longo prazo. Os investidores privados premiam empresas que possuem responsabilidade social atuante. Por exemplo, uma empresa pode dedicar a uma causa social ou pode contribuir para bem estar social provendo fácil acesso as inovações e tecnologia. Além disso, a empresa que cuida do meio ambiente em toda sua cadeia produtiva direta e indireta também ganha mais valor. 


A política de preço de combustível é uma questão de responsabilidade social que a própria empresa Petrobras precisa assumir independente do reforço extra do governo federal. Os parâmetros dessa política interna precisam buscar um equilíbrio entre demanda da sociedade e do capital privado preservando a capacidade de investimento e eficiência operacional.


Portanto, isso não será uma tarefa fácil. Essa política interna leva tempo e experimentação de erros e acertos para garantir a sustentabilidade da empresa. Mas, isso é um risco de curtisssimo prazo que o novo executivo da Petrobras precisa assumir para garantir apoio do mercado financeiro à Petrobras (uma empresa estatal de economia mista) com valorização de uma empresa privada e eficiente. 


Este artigo expressa a opinião do autor, não representando necessariamente a opinião institucional da FGV” © 2018 Hsia Hua Sheng All Rights Reserved / © 2018 Hsia Hua Sheng todos os direitos reservados


Para citação desse artigo: SHENG, H.H. “Solução de ESG para Petrobras”(Núcleo de Estudos de International Financial Management, FGV-EAESP), No. 30, 04/06/2018, São Paulo.

Quer participar do Projeto “Ideias que Transformam”? Se você é aluno ou ex-aluno da FGV EAESP e tem “ideias que transformam” para compartilhar, envie seu artigo para o e-mail ideiasquetransformam@fgv.br. Caso seja escolhido, seu artigo poderá ser promovido pela escola e ganhar muitos leitores.http://www.fgv.br/eaesp/cursos/hsia-sheng/


FONTE: https://www.linkedin.com/pulse/solu%C3%A7%C3%A3o-de-esg-para-petrobras-hsia-hua-sheng/


*Hsia Hua Sheng é Docente da FGV/EAESP e da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Publicado com autorização do autor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário